• Gabriela Dutra

Santo André não terá reajuste na tarifa do transporte público em 2022

Valor permanece congelado em R$ 4,75 durante o próximo ano e mais investimentos na área serão entregues à população, sem aumento no valor da passagem



A Prefeitura de Santo André não vai aplicar nenhum reajuste na tarifa do transporte público do município em 2022. A medida mantém, portanto, o valor da passagem em R$ 4,75 para o próximo ano nas linhas gerenciadas pela SATrans. Nada muda também em relação às gratuidades e ao Bilhete Único Andreense.

“Estamos com um grande investimento na área da mobilidade com a renovação da frota, com a revisão dos itinerários, a instalação de novos abrigos de ônibus e, em 2022, teremos uma modernização ainda maior do transporte sem nenhum aumento de tarifa. Fizemos uma análise com base na sensibilidade social e no momento econômico que vivemos e não há como falar em reajuste agora. Até 2023 a tarifa na nossa cidade está congelada”, destacou o prefeito Paulo Serra.

O último reajuste da tarifa do transporte público municipal foi em 2019, quando o valor da passagem passou de R$ 4,40 para os atuais R$ 4,75. Desde o início da gestão do prefeito Paulo Serra foram adquiridos 116 novos ônibus zero-quilômetro na cidade.

No último mês de setembro, a Prefeitura de Santo André entregou outros 16 novos ônibus com ar-condicionado, dentro do plano de processo de renovação total da frota, que prevê, até o final do ano de 2024, a troca de todos os ônibus da cidade.

Essa modernização inclui veículos que já saem de fábrica com itens de conforto como ar-condicionado, entradas USB para carregamento de celulares e total acessibilidade para os usuários, além de poltronas ergonômicas.

Além dos novos ônibus, um pacote de renovação dos abrigos foi implementado na cidade, possibilitando maior segurança e proteção aos usuários do transporte público municipal.

Plano de Mobilidade - Ainda dentro deste processo de modernização do sistema de transporte público está em execução o Plano de Mobilidade Urbana Sustentável, que mapeia e produz um minucioso diagnóstico da situação atual da mobilidade urbana de Santo André, dentro do contexto da Região Metropolitana de São Paulo.

Este prognóstico, que inclui a revisão das linhas de ônibus municipais e itinerários, balizará as ações no curto (5 anos), médio (15 anos) e longo prazo (25 anos), promovendo propostas para melhoria das condições de circulação de pessoas, bem como a integração entre os diferentes modos de transporte (sistemas urbanos de transporte público, pedestres, cicloviário, metroferroviário e distribuição de carga).

A proposta integra o pacote de investimentos em parceria com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), que financia obras e projetos de mobilidade em Santo André.

O projeto integral financiado abrange a duplicação do viaduto Antonio Adib Chammas, que já foi entregue, a obra do Complexo Viário Santa Teresinha, que começará em breve, e a qualificação e construção de quatro quilômetros de corredores municipais de transporte na região central.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png