• Marcos Paulo Silva

Santo André é a cidade do ABC que mais gerou empregos em maio

Foram 1.929 vagas com carteira assinada no período, segundo levantamento do Ministério do Trabalho e Previdência


Santo André é a cidade do Grande ABC que mais gerou empregos com carteira assinada no mês de maio, segundo levantamento do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgado pelo Ministério do Trabalho e Previdência. O município registrou um saldo – número de admissões menos o de demissões - de 1.929 vagas no período, representando mais de 63% do total da região. As sete cidades do ABC, juntas, foram responsáveis pela criação de 5.298 vagas de emprego em maio.

O setor de serviços mais uma vez foi o principal responsável por este resultado, tanto em Santo André quanto no Grande ABC. Dos 1.929 empregos criados em Santo André no mês passado, mais da metade, 1.129 novas colocações foram no setor de serviços. Segundo detalhamento do Caged, desse total 472 empregos foram gerados na setor de alimentação e outros 377 no segmento de saúde e assistência social. No recorte regional, o saldo do setor foi de 2.812 vagas.

O comércio também registrou saldo positivo, foi o segundo setor que mais contratou em maio, mas ainda assim foram criadas bem menos oportunidades do que no segmento de serviços. Em maio, o comércio de Santo André gerou 464 empregos com carteira assinada. Foi seguido pelo segmento da construção, com saldo de 211 vagas e o da indústria, com 125 novos empregos.

No acumulado de 2022, que leva em conta os resultados dos primeiros cinco meses do ano, Santo André registrou um saldo de 4.975 vagas. Número muito positivo se comparado ao resultado obtido no mesmo período do ano passado na cidade, quando foram geradas 1.328 vagas com carteira assinada.

“Esse resultado do Caged comprova que os três pilares que sustentam a atração de emprego e geração de renda na cidade estão proporcionando um resultado cada vez melhor com o passar do tempo. Estes pilares são a melhoria no ambiente de negócios, a melhoria na competitividade das empresas e a qualificação profissional. O conjunto dessa linhas de ação que temos adotado está se mostrando uma política pública acertada e demonstra o vigor financeiro do município”, disse o Secretário de Desenvolvimento e Geração de Emprego, Evandro Banzato.

No acumulado do ano, o segmento de serviços também está bem na frente, sendo responsável pela maioria das novas vagas. O setor registrou um saldo de 4.024 novos empregos entre janeiro e maio. Mas foi o setor de construção o segundo maior criador de vagas nos 5 primeiros meses deste ano, com saldo de 627 empregos no período, seguido pela indústria, com saldo de 318 vagas. Como o levantamento do Caged leva em conta o número de admissões menos o de demissões, o segmento do comércio criou apenas 7 oportunidades.

A região – O Grande ABC registrou um saldo de 5.298 empregos em maio, segundo o Caged. No acumulado dos cinco primeiro meses deste ano, o saldo ficou em 13.210 vagas. No mesmo período do ano passado, a região gerou 12.801 oportunidades de trabalho. Em todo o Brasil o saldo foi de 277.018 novos postos de trabalho com registro em carteira no mês de maio. No acumulado de janeiro a maio de 2022, o saldo no país é de 1.051.503 novas vagas.

A maioria dos empregos gerados neste ano foi no setor de serviços, com 658.112 contratações no período analisado. Depois vem a indústria, com saldo de 174.781, seguido pela construção civil, com 155.507 novas vagas, agropecuária, com 4.924 empregos criados, e o comércio, que registrou saldo de 13.862 postos de trabalho.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png