• Redação

São Caetano é a primeira cidade do Brasil a vacinar com a Janssen


São Caetano do Sul, cidade que mais vacina contra a covid-19 na Região Metropolitana de São Paulo, é também a primeira do Brasil a vacinar a população com a Janssen, imunizante da Johnsson e Johnsson. O município foi contemplado devido à participação na fase 3 de testes da vacina, realizada no Centro de Pesquisas da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul).

A cidade recebeu 1,5 mil doses e abriu nesta sexta-feira (25/6) agendamento para 824 pessoas, com idade entre 44 e 45 anos. Os dez primeiros já foram vacinados - os demais serão entre segunda e sexta-feira (28 a 2/7), das 8h às 20h, no Cecape (Centro de Capacitação dos Profissionais da Educação) Dra. Zilda Arns.

“É mais uma vacina que a cidade recebe para ampliar o atendimento da nossa população. Essas doses vêm para coroar todo o trabalho que envolve anos de investimento em Educação, Saúde, pesquisas e informação. Temos um Centro de Pesquisas dentro da Universidade que nos ajuda a continuar na vanguarda da tecnologia. E esse é o prêmio que ganhamos hoje: a vacina Janssen começando a ser aplicada na nossa cidade”, destacou o prefeito Tite Campanella, que comemorou também a chegada de mais 1,1 mil doses da vacina amanhã (estas, enviadas pelo governo federal).

“É um orgulho para o município receber as doses da Janssen. São Caetano tem recebido cotas proporcionais e estamos com as equipes e drives preparados para iniciar agendamento e vacinação imediatamente após a chegada das doses. Na próxima semana abriremos novo agendamento para completar as 1,5 mil doses recebidas pelo Centro de Pesquisas e, assim que recebermos a grade do Ministério da Saúde, com mais 1,1 mil doses, ampliaremos a imunização desse grupo”, destacou a secretária municipal de Saúde, Regina Maura Zetone.

PROTOCOLO

As vacinas que a cidade começou a aplicar nesta sexta-feira fazem parte de um programa de acesso expandido pela participação do Centro de Pesquisas da USCS na fase 3 de testes do imunizante. Na ocasião, 28 centros de pesquisas do País e sete mil voluntários contribuíram com o programa que avaliou a vacina da Janssen. Em São Caetano, cerca de 250 pessoas participaram.

“As vacinas vêm nesse contexto de acesso expandido. A pessoa assina um termo de anuência, faz um breve acompanhamento e fica 15 minutos a mais para verificarmos possíveis efeitos adversos. É mais uma questão protocolar de um processo de acesso expandido, do que qualquer outra coisa. A vacina essencialmente é a mesma”, afirmou o infectologista e diretor do Centro de Pesquisas da USCS, Fabio Leal - o reitor da Universidade, Leandro Prearo, também acompanhou o início da imunização.

Bruno Turolla, 44 anos, morador do Bairro Santo Antônio, foi o primeiro a ser vacinado. “Me sinto honrado por ser o primeiro a tomar a vacina da Janssen. Mas estaria feliz, da mesma forma, se fosse qualquer outra vacina”, afirmou. Bruno contou que toda família estava engajada a espera da abertura de agendamento para sua faixa etária. “Ontem, quando o prefeito anunciou na live, todos já começaram a me enviar mensagens dizendo que o agendamento abriria hoje cedo. Às 7h liguei o computador e aguardei a liberação do link. Poucos minutos depois das 8h eu já estava agendado”, comemorou.

O mesmo fez Cleber Augusto Calamari, 45 anos, morador do Bairro Cerâmica. “Às 7h30 liguei o computador e assim que o link foi liberado, digitei todas as informações. Cliquei algumas vezes até ativar meu agendamento. Quando consegui, vi que ainda tinham mais cinco vagas. Fiquei muito feliz”, destacou.

Até quinta-feira (24/6), São Caetano aplicou 109.979 doses, sendo 75.004 primeiras doses e 34.975 segundas doses.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png