• Wilton Bezerra

São Caetano é a melhor cidade do Brasil em ranking de cidades sustentáveis e práticas de ODSs

São Caetano está no topo do ranking das cidades sustentáveis do País. É o primeiro entre os 5.570 municípios brasileiros em relação às práticas de ODSs (Objetivos de Desenvolvimento Sustentável) da ONU. O ranking foi divulgado nesta sexta-feira (8/7).


Os dados estão no Mapa de Desempenho dos municípios brasileiros, que levam em consideração os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU. “Recebemos com grande alegria a notícia. Não é de hoje que São Caetano do Sul trabalha para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Nosso Plano de Governo foi todo pautado em ações que preparam a cidade para o futuro, com uso de muita gestão técnica, alta tecnologia e governança, que garantem o desenvolvimento social e econômico do município que já tem o melhor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Brasil e caminha para aumentar ainda mais a qualidade de vida dos moradores”, afirma o prefeito José Auricchio Júnior.

“A Agenda 2030 da ONU é abrangente e transformadora do ponto de vista global, mas sua efetividade depende substancialmente dos engajamentos das sociedades nacionais e de suas diferentes esferas de governo. É nas cidades, onde a vida das pessoas realmente acontece, que vimos travando a batalha pela qualidade de vida e pelo desenvolvimento sustentável preconizados pela Agenda. Ter São Caetano do Sul no topo do ranking brasileiro é um reconhecimento a este trabalho. Motivo de orgulho para todos os mais de 162 mil sulsancaetanenses”, reitera o chefe do Executivo.

Os investimentos na área da Saúde foram destaque no Jornal Nacional, da Rede Globo, de quinta-feira (7/7). A cidade garantiu excelentes indicadores no Índice de Desenvolvimento Sustentável das Cidades em queda de mortalidade materna infantil, mortalidade por Aids, incidência de dengue, aplicação do orçamento municipal em Saúde, detecção de hepatite, entre outros.

“Saúde sempre foi prioridade do nosso governo. Em 2018, antes da pandemia, a cidade já investia 30% do orçamento na pasta. Ano passado fechamos com 33,5% de aplicação do orçamento na Saúde. Investimos mais que o dobro do que prevê a Constituição Federal (15%)”, explica a secretária municipal da área, Regina Maura Zetone.

Considerando a despesa com Saúde com recursos próprios em 2021 (R$ 381,4 milhões), há gasto médio de R$ 2,3 mil por habitante, número muito superior à média nacional, de R$ 1,3 mil. “A projeção para este ano é ainda maior, tendo em vista que o investimento per capita, no primeiro quadrimestre foi de quase R$ 900”, explicou Regina Maura.

Alguns ODSs, como Energias Renováveis e Acessíveis, Indústria, Inovação e Infraestruturas, e Proteger a Vida Marinha já foram 100% atingidos. “Todos os nossos munícipes têm acesso à energia elétrica, água tratada e coleta seletiva. Temos 100% do esgoto coletado e tratado. Além disso, os investimentos em educação de qualidade nos garantiram o selo de Município Livre do Analfabetismo e avanços constantes, com acesso à internet em todas as escolas, formação continuada dos professores e infraestrura. Preparamos a nossa sociedade para novos tempos“, destaca Auricchio.

São Caetano do Sul tem o melhor índice de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) do Brasil e a cidade trabalha para que Saúde, Educação, Segurança e Assistência e Inclusão Social continuem sendo áreas primordiais, todas articuladas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e à Agenda 2030 da ONU, que concentram série de ações a serem atingidas para proteger o planeta e torná-lo mais inclusivo, justo e seguro.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png