• Redação

Prefeitura de Diadema denuncia organizadores de pancadões à Polícia Civil


Para inovar e intensificar o combate aos pancadões, a Prefeitura de Diadema acionou a Polícia Civil, solicitando investigação contra os donos de estabelecimentos e organizadores responsáveis por essas festas clandestinas. O objetivo é que respondam por crime contra a saúde pública. Como a iniciativa começa a apresentar resultados, a Secretaria Municipal de Defesa Social está confiante que isso contribua para conter as aglomerações, fortalecer o enfrentamento à Covid-19 e melhorar a segurança pública.

Para não atrapalhar as investigações, a Delegacia Seccional de Polícia de Diadema evita divulgar detalhes dos casos, mas confirma a abertura dos primeiros inquéritos. O órgão também informa que a Polícia Civil já começou a colher depoimentos dos envolvidos.


De acordo com o delegado seccional de Diadema, Guerdson Ferreira, tanto a Prefeitura como a população podem contar com o apoio da Polícia Civil para coibir a ação de quem está por trás dessas festas clandestinas. Para tanto, os distritos policiais da cidade estão empenhados na investigação daqueles que se beneficiam promovendo pancadões, afirmou.

“Em caráter emergencial e naquilo que é da nossa competência, também queremos contribuir para combater essas aglomerações que disseminam e agravam a situação de pandemia. De imediato, instauramos os quatro primeiros inquéritos e seguimos priorizando as investigações para apurar, identificar e responsabilizar, junto ao Ministério Público, quem promove pancadão em Diadema”, explicou o delegado seccional.


Enfrentar com inteligência e muito trabalho o problema dos pancadões é uma das metas da gestão do prefeito de Diadema José de Filippi Júnior. “Temos a compreensão de que a solução é complexa e não ocorre de imediato. A Prefeitura, por meio da GCM e em parceria com a PM, tem priorizado o enfrentamento aos pancadões. Mas agora passa a contar também com o importante apoio da Polícia Civil”, comemora o secretário municipal de Defesa Social, Benedito Domingos Mariano.


De acordo com a Secretaria de Defesa Social de Diadema, o município enfrenta atualmente sete pontos críticos de pancadões. Nesses locais, as equipes de fiscalização da GCM identificaram mais de 40 bares e similares que, direta ou indiretamente, estão promovendo e estimulando, juntamente com pessoas físicas, a ocorrência das festas clandestinas. É com base nesse levantamento minucioso, que a Prefeitura procurou a Polícia Civil e registrou a queixa.


“É inaceitável que estabelecimentos responsáveis pelos pancadões continuem causando transtornos e disseminando a Covid-19 entre milhares de jovens. Estamos nos pautando pela legislação, primeiramente notificamos, mas agora vamos multar ou fechar se for preciso”, disse o secretário Benedito Domingos Mariano.


Operação Paz e Proteção


Enquanto a investigação da Polícia Civil avança, a Operação Paz e Proteção, com equipes da GCM e PM, será intensificada no próximo final de semana. O objetivo é evitar a ocorrência de mais pancadões, simultaneamente. Para isso, o efetivo na missão será reforçado.


Recentemente, por meio da publicação de decretos municipais, o poder de fiscalização da GCM foi ampliado. Agora, que os guardas têm o papel de Polícia Administrativa, as equipes ficam mais ágeis e coercitivas contra comércios e pessoas que não respeitam as restrições da pandemia e causam perturbações do sossego público.


No final de semana passado, por exemplo, a Operação Paz e Proteção ocorreu no Conjunto Habitacional Júpiter e Núcleo Piratininga, na região do Serraria. Na ação, que conseguiu inibir pancadão, foram abordadas e revistadas 90 pessoas; vistoriados 12 veículos e 17 motocicletas; e emitidos 15 autos de infração de trânsito (AIT); além disso, os GCMs também orientaram moradores de duas residências denunciadas por perturbação causada por som alto.


Anteriormente, outros pontos críticos de ocorrência de pancadão também foram alvo da operação: rua Santa Cruz (Baile da Torre), Jardim Canhema; rua Botocudos (Morro do Samba), Serraria; Núcleo 18 de Agosto, Jardim Campanário; rua Raul Seixas (Gazuza), Jardim Casa Grande; rua Itália, Jardim das Nações.



Para fazer contato com a GCM Diadema, basta ligar 153; também pode ser no 0800-7705559 ou 4043-6330 (Central de Operações); ou ainda, pelo e-mail gcm@diadema.sp.gov.br

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png