• Redação

População participa de pesquisa sobre turismo em Santo André

Dados coletados contribuirão para a formulação do novo texto base do Plano Diretor de Turismo de Santo André

Centenas de munícipes, moradores de 57 bairros de Santo André, opinaram a respeito do turismo na cidade por meio do aplicativo de serviços utilizado pela Prefeitura, o Colab. A pesquisa, que aconteceu entre os dias 24 de junho e 7 de julho, teve como objetivo ouvir a opinião da população sobre o tema, para revisão do Plano Diretor de Turismo de Santo André.

A participação da população na nova versão do documento, que estabelece diretrizes e metas para o turismo a serem aplicadas nos próximos anos, é uma das etapas mais importantes do processo de atualização do Plano.

“Esse número mostra que conseguimos cumprir a meta de participação da sociedade civil no debate, e com a presença de pessoas de um número muito grande de bairros, praticamente de todas as regiões da cidade”, disse o diretor de Desenvolvimento Econômico, Inovação, Tecnologia e Turismo, Fernando Cunha.

Do total de 242 participantes, 47% são do sexo masculino, 37% tem idade acima dos 50 anos e aproximadamente 50% tem nível superior completo. Os resultados compilados com a pesquisa, somados às contribuições obtidas durante a audiência pública realizada no dia 30 de junho, poderão ser inseridos no texto-base do Plano Diretor de Turismo, que foi revisto pela equipe da Secretaria de Desenvolvimento e Geração de Emprego em abril e maio deste ano.

Em seguida o documento será enviado para a aprovação do Conselho Municipal de Turismo, para então ser encaminhado para a Câmara Municipal e virar lei. O prazo para a finalização desse processo termina este mês.

Resultados - A Vila de Paranapiacaba é o principal atrativo turístico de Santo André na opinião de 24 % dos participantes da pesquisa, seguida pela Sabina Escola Parque do Conhecimento, que coloca o turismo pedagógico como o mais importante na visão de 18,33% dos entrevistados. Os parques urbanos aparecem na terceira posição, considerados como principais atrativos para 55% das respostas.

Entre os eventos tradicionais da cidade, o Festival de Inverno de Paranapiacaba também é considerado o mais importante do calendário turístico na cidade, com 30,9% das respostas. Os festivais e festas realizadas no Paço Municipal, como o Beer's Fest e a Feira da Fraternidade ficaram em segundo lugar entre os considerados mais importantes, com 21,73%. E as corridas de rua ficaram em terceiro lugar com 11,42%.

Esses números adiantam o resultado do questionamento sobre qual segmento deve ser priorizado no desenvolvimento de políticas municipais para a atividade turística. Ecoturismo e turismo de aventura são o segmento mais apontado, com 27,09% das respostas, tendo como referência principal Paranapiacaba e o Parque Municipal Nascentes de Paranapiacaba. O turismo pedagógico, que tem a Sabina e a Escola de Educação Ambiental Parque Tangará – Parque Escola como peças-chave, recebeu 20,47% das respostas e o turismo histórico-cultural, que também tem Paranapiacaba como referência, recebeu 16,69% das respostas.

No questionamento sobre as ações que deveriam ser realizadas para incrementar o turismo na cidade, as respostas foram bem distribuídas entre as opções apresentadas, mas a realização de festivais, feiras e encontros foi a opção mais votada, com 21,8% das respostas, seguido por ações que ampliassem o conhecimento do morador sobre o potencial turístico da cidade para que se torne um propagador e divulgador espontâneo, com 21,04%. A criação de novos produtos turísticos aparece em terceiro lugar, com 17%.

Por isso a realização de campanhas para que o munícipe conheça o potencial turístico da cidade foi a opção mais escolhida no último questionamento da pesquisa, a respeito das ações que devem ser priorizadas pela gestão municipal, com 16,74% das respostas.

“Desenvolver estratégias para que a população conheça os atrativos da própria cidade vai ser uma das principais ferramentas de divulgação da imagem da cidade. O boca a boca é um instrumento poderoso para atrair visitantes à cidade. E a ideia é que o visitante fique o máximo de tempo possível, compre, consuma, fazendo assim a economia se movimentar”, disse Cunha.

A opção de qualificar as estruturas dos atrativos turísticos ficou em segundo lugar, com 12,86% dos votos e a preservação do patrimônio histórico e cultural em terceiro, com 12,8% dos votos.

“O objetivo final do Plano Diretor de Turismo é definir ações que promovam a retomada do setor após as dificuldades provocadas pela pandemia, e assim proporcionar geração de emprego, renda e crescimento para Santo André. Para isso o plano guiará nossos esforços nos próximos anos”, disse Fernando Cunha.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png