• Redação

Marcelo Facchini participa do projeto “Favela 3D” em São José do Rio Preto (SP)

CEO da maior empresa de implementos rodoviários da América Latina cria mais uma ação social em parceria com a Gerando Falcões e Edu Lira


A pandemia por conta da COVID-19 pegou muita gente de surpresa, afinal, além da doença, veio o desemprego, a falta de renda e um gradativo aumento da pobreza no país. A Facchini, que sempre foi engajada em causas sociais, intensificou a sua solidariedade neste período e não mede nem economiza esforços para ajudar os mais necessitados. Agora, a companhia, que é a maior empresa de implementos rodoviários da América Latina, se une a Gerando Falcões e Edu Lira no “Favela 3D”, cuja missão é transformar a pobreza da favela em peça de museu e com grandes estratégias adotadas, como Hardware e Software. Para engradecer o projeto, o CEO Marcelo Facchini se encantou e se entregou ao propósito em questão: casa para todos, moradia transitória, urbanismo social, arquitetura conectada, urbanismo ecológico e sustentável, trilhas de capacitação, banco comunitário, favela empreendedora, cidadania digital, cultura da paz e muito mais.

“Favela é um fenômeno complexo que vai muito além das questões de habitação. Consideramos que a favela é um espaço rico de experiências, inovações e de possibilidades, onde vamos empregar ciência de foguete para acabar com a pobreza”, afirma Marcelo Facchini. A ideia da atuação é gerar renda, treinando e inserindo no mercado de trabalho os próprios moradores. Ainda com previsão de construção em outubro ou novembro deste ano, “Favela 3D” promete servir de exemplo para todo o Brasil e Marcelo completa: “Fizemos a parceria com a prefeitura para toda parte de saneamento e energia e os próprios moradores, também, vão colocar a mão na massa. Uma forma deles reutilizarem o dinheiro em forma de patrocínio”. Para o projeto Favela 3D, o modelo de financiamento prevê o envolvimento do poder público, iniciativa privada e sociedade civil. Sendo assim, as seguintes formas de financiamento: 1- Governo Municipal: Responsável pelo terreno e pela viabilização das obras de infraestrutura urbana. 2- Governo Estadual: Subsídio via programa Casa Paulista, tendo sido estabelecido como meta para cada 1 real arrecadado via filantropia o estado irá colaborar com 2 reais em subsídio. 3- Filantropia: Arrecadação de doação via sociedade civil e empresas para custear parte do valor necessário para a construção das casas. 4- Famílias: Os moradores pagam por uma parte do valor das casas via financiamento imobiliário realizado pela formação de um fundo imobiliário de impacto social que traga alguma rentabilidade para o investidor privado. O histórico de um empreendedor solidário: Vale ressaltar que Marcelo Facchini integra o “Favela 3D” com a bagagem de quem tem consciência de seu papel de cidadão solidário. Além de construir um hospital de campanha, ajudar o projeto da TV Bandeirantes, Brasil sem Fome, com toneladas de alimentos, sob o comando de José Luiz Datena, em que a Facchini contribuiu doando cestas básicas, a empresa fortificou outros planos que já eram vigentes em suas causas como “Adote Um Leito”, em que busca contribuir com a diminuição dos altos índices de mortalidade neonatal, “Adote Um Idoso” ajuda a custear os serviços de geriatria com instalações adequadas e custeio de exames e medicamentos, “Pequeno Príncipe”, oferece assistência em saúde com qualidade e humanização a todos os pacientes em tratamento no Hospital Pequeno Principe, dando apoio as famílias para contribuir com a efetivação dos direitos fundamentais de milhares de crianças e adolescentes, “Arte Que Transforma”, no Hospital Pequeno Príncipe, o acesso à educação e à cultura é um direito e “Papai Noel”, que promove o acesso à cultura gratuita e aproxima a temática natalina, como união e família. “O Favela 3D é mais um projeto que a Facchini participa como ideal de construção para uma sociedade justa e amparada”, finaliza. Mais informações em: www.facchini.com.br


eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png