• Victor Oliveira

Grande ABC criou 37 mil vagas com carteira assinada em 2021

Dados do Ministério da Economia foram organizados em boletim regional pelo Consórcio ABC e pela Agência de Desenvolvimento

O Grande ABC fechou 2021 com saldo positivo na geração de vagas formais de emprego, totalizando mais de 37 mil vagas formais abertas. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). As informações, divulgadas pelo Ministério da Economia, foram organizadas pelo Observatório Grande ABC, iniciativa do Consórcio Intermunicipal Grande ABC e da Agência de Desenvolvimento Econômico Grande ABC, com o objetivo de levantar números regionais dos mais diversos setores para embasar políticas públicas para a região. Todos os municípios fecharam o ano com saldo positivo: Diadema (+4.816 vagas), Mauá (+4.771), Ribeirão Pires (+644), Rio Grande da Serra (+49), Santo André (+8.557), São Bernardo do Campo (+13.017) e São Caetano do Sul (+5.160). No saldo por sexo vemos que, no ano de 2021, o saldo entre os homens (+20.470) foi maior do que o entre as mulheres (+16.544). Em relação à escolaridade, o resultado do ano demonstrou predomínio de vagas para pessoas com o nível médio completo (+35.566). Em relação às idades, os mais jovens continuam dominando o saldo, com mais de 22,7 mil vagas para a faixa de 18 a 24 anos. O setor com melhor resultado em 2021 foi o setor de Serviços (+16.095 vagas), seguido pelos setores Comércio (+9.010), Indústria (+6.054), Construção (+5.848) e Agropecuária (+7). O presidente do Consórcio ABC e prefeito de Santo André, Paulo Serra, ressaltou a retomada da criação de postos de trabalho nas sete cidades. "Os números mostram a retomada econômica no Grande ABC, que fortalecem a geração de emprego e renda para a nossa gente. Uma recuperação importante, após o impacto causado pela crise econômica deflagrada pela pandemia de Covid-19, que afetou a criação de novos postos de trabalho em toda a região nos últimos dois anos", afirmou. Para o presidente da Agência de Desenvolvimento, Aroaldo Oliveira da Silva, é necessário melhorar ainda mais esses indicadores. “O saldo positivo tem que ser comemorado em um momento como esse, mas os números ainda são baixos para uma região com 3 milhões de habitantes. Por isso, é necessária a união de esforços do poder público e da iniciativa privada”, disse. Em dezembro, o Grande ABC apresentou saldo negativo com o fechamento de 3,9 mil vagas. O resultado negativo em dezembro é uma tendência do mercado de trabalho, sendo também verificado no resultado estadual e nacional. Clique aqui para acessar a ficha de apresentação.

Clique aqui para acessar o boletim.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png