• Kako Vasconcelos

Estudo de catadores subsidiará políticas públicas em Santo André

Semasa está desenvolvendo pesquisa para mapear o contingente de pessoas que recolhem e comercializam recicláveis no município



Santo André iniciou nesta quinta-feira (11) uma pesquisa de campo que visa mapear o contingente de pessoas que recolhem recicláveis pelas ruas do município e trabalham com a compra e venda desses materiais. É uma iniciativa realizada pelo Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental de Santo André) para que a cidade possa criar políticas públicas e compreender o cenário e o fluxo de comercialização de resíduos secos.

“O estudo de catadores informais possibilitará a atuação integrada de diversos setores da administração municipal, permitindo que Santo André crie ações e projetos de assistência social, saúde pública, cuidado e bem-estar animal, economia solidária, qualificação dos profissionais e empreendedorismo”, afirma a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade da Prefeitura de Santo André, Ana Carolina Barreto Serra.

O diagnóstico também é uma importante ferramenta para que a cidade possa inserir os profissionais no mercado formal de triagem e venda de recicláveis. “Queremos trazer mais dignidade para os catadores e fazer com que eles possam trabalhar em melhores condições. Por isso, a nossa ideia é que os profissionais possam sair da informalidade e atuar nas cooperativas de reciclagem do município”, explica o superintendente do Semasa, Gilvan Junior. Com o estudo em mãos, a autarquia projeta criar a terceira cooperativa de Santo André para inserir o maior número de pessoas no sistema de coleta.


Realizado em todos os bairros do município, o estudo vai possibilitar que a cidade possa traçar o panorama completo do perfil socioeconômico, da renda, faixa-etária, etnia, sexo, escolaridade, sistema de coleta de setores do município, sistema de receptação e venda de recicláveis, e outras variáveis do trabalho, além de diversas outras informações. A pesquisa ainda permitirá o fortalecimento de políticas públicas para a causa animal, já que o levantamento inclui perguntas se os catadores informais possuem bichos de estimação, se eles estão vacinados, do que se alimentam e etc.

Com investimento de R$ 169 mil e prazo estimado de seis meses, o estudo de catadores é realizado pelo Semasa por meio do Programa Sanear Santo André, que inclui intervenções para otimizar a gestão de resíduos sólidos, ampliar a coleta seletiva e diminuir ou até mesmo combater pontos de descarte irregular de lixo.

O programa prevê a construção de mais 20 Estações de Coleta e de um Centro de Controle Operacional – espaço que reunirá câmeras de segurança instaladas nos ecopontos, software de gerenciamento, dentre outras intervenções de infraestrutura.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png