• Victor Oliveira

Em São Bernardo, menina de 11 anos com síndrome de Down é a 1ª criança vacinada contra a Covid-19

Cidade foi a primeira do Estado, fora a Capital, a iniciar a imunização de crianças de 5 a 11 anos, após a chegada do 1º lote de doses pediátricas


A cidade de São Bernardo foi a primeira no Estado de São Paulo, fora a Capital, a iniciar a imunização de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. A primeira criança a receber a dose foi a pequena Rafaela Kimeri Franchini, de 11 anos, diagnosticada com síndrome de Down, na UBS Baeta Neves. O início das aplicações no público foi possível após a chegada do primeiro lote de 4.408 vacinas pediátricas produzidas pela Pfizer ao município nesta sexta-feira (14/01).

Para as demais crianças de 5 a 11 anos, a aplicação terá início na próxima segunda-feira (17/01), nas 33 Unidades Básicas de Saúde, das 8h às 11h. Para isso, é necessário realizar o agendamento prévio, já disponível no site da Prefeitura www.saobernardo.sp.gov.br/web/coronavirus ou por meio do app São Bernardo na Palma da Mão. Nesta primeira etapa, as vacinas serão aplicadas de forma prioritária em crianças com comorbidades, mediante a apresentação de documentação comprobatória.

Segundo o prefeito Orlando Morando, São Bernardo mais uma vez dá exemplo de agilidade na aplicação das doses contra a Covid-19. “Recebemos as vacinas hoje e já iniciamos a imunização, porque contra a Covid-19 não há tempo a perder. O público infantil e seus pais aguardavam há muito tempo por esse momento histórico não só para nossa cidade, mas para o Brasil”, destacou o chefe do Executivo.

Secretário de Saúde de São Bernardo, Dr. Geraldo Reple Sobrinho acompanhou o ato ao lado da primeira-dama e deputada estadual, Carla Morando, e explicou como será o processo de imunização do público infantil. “O público-alvo desta faixa etária é composto por 74.500 crianças. Cerca de 10% delas apresentam comorbidades. A medida em que o município for recebendo os lotes, novos grupos serão contemplados, como foi feito durante todo o processo de imunização”, explicou Dr. Geraldo.

Muito corajosa, a primeira vacinada Rafaela não chorou e disse que estava bastante ansiosa para este momento. Os pais acompanharam a garotinha e se emocionaram com a imunização da filha. “Não dá para falar ainda em vida normal porque estamos vendo que a pandemia não acabou, mas já dá para ter um pouco mais de esperança de que vamos vencer esta batalha”, declarou o pai, Marcelo André Franchini, que segurou a criança no colo no momento da vacina. Além da menina, outras 8 crianças com comorbidades receberam a primeira dose da proteção contra o Coronavírus.

DOCUMENTOS – Os pais de crianças com comorbidades devem apresentar comprovante da condição dos filhos, por meio de receitas de medicamentos, relatório médico ou exames. Além disso, para realização do agendamento, a criança precisa deve possuir CPF. Para agilizar o atendimento, a Prefeitura recomenda que seja realizado o pré-cadastro no site do Vacina Já (www.vacinaja.sp.gov.br), do Governo do Estado.

AÇÃO CULTURAL - Com o objetivo de incentivar e democratizar a leitura pela cidade, o programa Espalhando a Leitura, da Secretaria de Cultura e Juventude, acontecerá de forma itinerante nas UBSs durante a vacinação de Covid-19 nas crianças. A equipe estará presente a cada dia em uma das unidades de saúde, onde serão disponibilizados títulos diversificados, entre literatura infantil, juvenil e adulta. A primeira a ser contemplada será a UBS Baeta Neves (Rua Giacinto Tognato, 1.100, Baeta Neves).

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png