• Redação

Disque Coronavírus é reconhecido pela OMS como ação de excelência no combate à Covid-19


São Caetano do Sul mais uma vez conquista o reconhecimento pela excelência das ações de combate à covid-19. O programa Disque Coronavírus foi um dos 19 trabalhos premiados na iniciativa APS Forte no SUS – no combate à covid-19, promovida pela Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS/OMS) e pelo Ministério da Saúde para dar visibilidade às boas práticas desenvolvidas pelos profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS) do SUS em todo o País.

Foram inscritas 1.631 experiências. A cerimônia virtual realizada na sede da OPAS, em Brasília, nesta sexta-feira (16/7), reuniu o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga; a representante da OPAS-OMS no Brasil, Socorro Gross; o secretário da Atenção Primária do Ministério da Saúde (Saps), Raphael Câmara; o diretor do departamento de Serviços de Saúde da OPAS/OMS, James Fitzgerald; a diretora do departamento de Saúde da Família (Desf), Renata Maria de Oliveira Costa; representantes do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), além de representantes das cidades premiadas.

Das 19 experiências reconhecidas pelas práticas de excelência, quatro são do Estado de São Paulo - incluindo o Disque Coronavírus, de São Caetano, a única cidade premiada do Grande ABC. Todas receberão troféu e certificado, além de terem as experiências publicadas pela OPAS e um e-book no site do Ministério da Saúde, na plataforma apsredes.org.

O prefeito Tite Campanella comemorou o reconhecimento. “Não poupamos esforços para as ações de combate à pandemia, que têm sido um dos principais focos da nossa administração. Nos empenhamos em garantir atendimento adequado na Saúde, além de amparar as pessoas em situação de vulnerabilidade e de apoiar o setor produtivo, que foram diretamente atingidos.”

“Quero parabenizar OPAS/MS por unir e incentivar tantas experiências exitosas para que possam ser divididas por todos os municípios do País. Agradeço o envolvimento de todos os nossos agentes comunitários, toda equipe de Saúde da Família e da nossa universidade (USCS) para que fosse possível desenvolver este projeto exitoso. Estar entre os 19 melhores projetos do Brasil é uma grande alegria”, afirmou a secretária de Saúde, Regina Maura Zetone.

De acordo com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a pandemia mostrou a força dos profissionais que atuam na Saúde do País. “Brilharam e garantiram acesso a um atendimento digno, seguro e de qualidade na Atenção Primária. O reconhecimento deste trabalho vai para cada profissional que lutou com garra mostrando a resposta do SUS aos desafios impostos pela pandemia. Conseguimos mostrar porque o SUS é o maior sistema de saúde pública do mundo. Nosso sucesso está nos profissionais. Parabéns aos 1.471 participantes, aos 261 que receberam menção honrosa e aos 19 que chegaram à final. O SUS cresce com a dedicação de vocês”, afirmou.

As cidades participantes escolheram entre oito temas. Das 1.631 experiências inscritas, 1.471 foram aprovadas para a segunda etapa do projeto. A terceira fase do projeto selecionou 261 experiências do País, e três de São Caetano estavam entre as destacadas: ações de contenção da disseminação do coronavírus numa parceria saúde-ensino-comunidade (Disque Coronavírus); ações da assistência farmacêutica: acesso e cuidado no enfrentamento da covid-19 em uma UBS tradicional; e implantação do atendimento em reabilitação aos pacientes curados da covid-19 após alta hospitalar.

A representante da OPAS, Socorro Gross, afirmou que as experiências podem servir de inspiração para que outros municípios também adotem as boas práticas. “Encontramos nos trabalhos equipes de Saúde que de forma intersetorial construíram programas para atingir a população. Foram 19 práticas bem sucedidas que venceram obstáculos, atenderam aos mais vulneráveis e mantiveram a linha de cuidado e atendimento de vigilância em Saúde. É um laboratório de inovações.”

DISQUE CORONAVÍRUS

O município investiu em vigilância, comunicação e contou com a rede de graduação em Medicina da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul) para criar um programa de testagem domiciliar. Para acessar o programa o munícipe pode ligar para 0800 774 4002, de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h, e aos sábados, das 8h às 12h. Ou registrar os dados no site coronasaocaetano.org em qualquer dia ou horário.

Em parceria com o Instituto de Medicina Tropical da USP, a Secretaria de Saúde criou um serviço de inteligência epidemiológica que usa um website em que o cidadão preenche caso apresente sintomas suspeitos de covid-19.

“A partir daí um aluno da USCS faz uma avaliação remota do caso na plataforma que tem um algoritmo que determina ou não uma visita domiciliar pelo interno com o apoio de um Agente Comunitário de Saúde, para realização do teste para doença. Com o resultado positivo, um médico da Estratégia Saúde da Família faz a visita no domicílio e avalia clinicamente o paciente”, explica Regina Maura.

Em uma cidade onde 24% da população tem mais de 60 anos e com comorbidades próprias da faixa etária, o Disque Coronavírus conseguiu mitigar a internação e diminuir o número de óbitos. A evolução da pandemia foi controlada em tempo real em todo município. Em pouco mais de um ano de programa, foram realizados 36.491 atendimentos. Dos 21.052 testes realizados, 35% foram positivos (7.371 casos).

PREMIADOS

Todas as experiências aprovadas passarão a integrar as atividades promovidas pelo Ministério da Saúde e OPAS, como forma de reconhecimento e validação do trabalho realizado. Os autores das práticas selecionadas terão acesso a materiais e conhecimentos de outras experiências similares, desenvolvidas pelo Brasil e acesso a documentação relevante, tanto acadêmica quanto literatura técnica.

Os trabalhos premiados serão mencionados em uma publicação da OPAS sobre o tema, com destaque para os melhores classificados.

AS CATEGORIAS E CIDADES VENCEDORAS

1 - Gestão e organização dos serviços e gestão da resposta (Arapiraca – AL, Lucas do Rio Verde – MT, Anísio de Abreu – PI, Canaã dos Carajás – PA e Porto Alegre – RS);

2 - Continuidade dos serviços essenciais da APS (Teresina – PI, Acre - AC, São Paulo – SP , Belo Horizonte – MG, Goiás Velho – GO);

3 - Prevenção e comunicação (Sobral – CE, São Caetano do Sul – SP e Minas Gerais);

4 - Vigilância e monitoramento (Sorocaba - SP e Porto Alegre – RS);

5 - Ações voltadas para proteção de grupos vulnerabilizados (Guararapes – PE, São Paulo – SP, Rio de Janeiro – RJ e Maceió – AL).

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png