• Victor Oliveira

Comissão de Ética da Alesp acata parecer de Carla Morando contra deputado por ofensas ao Papa

Parlamentar Frederico D’Avila (PSL) vai precisar apresentar argumentos de defesa na próxima quarta-feira (01/12)



A Comissão de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aceitou o pedido de representação da deputada estadual Carla Morando (PSDB) contra o deputado Frederico D’Avila (PSL), que no mês passado, proferiu ofensas direcionadas ao Papa Francisco, ao Arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Igreja Católica.


Com a abertura do processo, Frederico D’Avila terá cinco sessões ordinárias para apresentar a defesa na Comissão de Ética, que é presidida pela deputada Maria Lúcia Amary.


“Estou acompanhando de perto todo o processo e espero que o deputado seja punido. É inadmissível que um parlamentar utilize a tribuna da Alesp para ofender e atacar líderes religiosos. Houve quebra de decoro e não podemos permitir esse tipo de atitude”, salientou Carla Morando.


O CASO – Logo após o feriado de Nossa Senhora Aparecida, o deputado do PSL utilizou a tribuna do Plenário Juscelino Kubistchek para responder a um discurso feito pelo Arcebispo Dom Orlando Brandes. Em sua fala, Frederico D’Avilla utilizou palavras como “pedófilos”, “safados” e “vagabundos”, para se referir ao Papa Francisco, ao Arcebispo de Aparecida e a CNBB.


Após a fala do deputado, a CNBB também se pronunciou e divulgou uma carta aberta a ALESP, assinada pelo arcebispo de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo, o arcebispo de Porto Alegre, dom Jaime Spengler, o 1ª vice-presidente e bispo de Roraíma, dom Mário Antônio da Silva, e pelo 2º vice-presidente e bispo auxiliar do Rio de Janeiro, dom Joel Portella Amado, repudiando a fala e cobrando punição ao parlamentar.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png