• Pretty Woman - Notícia e sensualidade

Capa da Sexy, Yu Ferracini deixou a igreja para se tornar uma sex symbol: “me sentia pecadora"



Por muitos anos, Yu Ferracini, 31 anos, levou uma vida dentro da igreja. Desde adolescente, ela frequentava os cultos evangélicos, mas pressionada pelas normas religiosas e disposta a dar um novo rumo na sua vida e carreira, ela abandonou a igreja para se tornar modelo e mostrar seu lado natural, que é a sensualidade. Depois de participar do reality ‘Casa das Pimentinhas’, Yu posou nua para a revista Sexy.


“Me sentia pecadora, depois de um tempo percebi que não me encaixava na doutrinação e que a igreja não era lugar para mim. Me senti pressionada muitas vezes. Lembro de um episódio em que questionaram uma foto de rosto no meu Facebook alegando que era muito sensual. Aquilo me fez mal e comecei a pensar sobre tudo o que estava acontecendo”, lembra.



Além disso, Yu sofria críticas por seu estilo de se vestir, já que costumava a usar roupas mais no estilo emo, tribo que se identificava na época. “Outro episódio foi o constrangimento que passei quando descobriram que estava namorando, e que tinha passado momentos a sós com ele. Perguntaram o que tinha acontecido, se havia tido relações e se houve algum tipo de toque, expliquei com detalhes o que aconteceu, me senti muito constrangida. Mas a gota d’água foi quando sugeriram que não fizesse faculdade pois estaria fazendo parte das pessoas mundanas”, conta.


Foi depois disso que ela deixou a igreja para continuar a faculdade e finalmente perder a virgindade, na época já com 21 anos. “Queria ser eu mesma, vestir o que eu quisesse, postar fotos como quisesse, sem me sentir julgada! Queria buscar o sonho de modelo e ter uma vida de liberdade, viver sem tabus e preconceitos. Foi quando me inscrevi para o Big Brother, fui chamada para a entrevista, só não fui por falta de grana, pois fazia faculdade na época”.


Logo em seguida, a modelo fez seu primeiro ensaio sensual como um grito de liberdade. Desde então passou a trabalhar e mostrar seu lado mais sensual, que tem tudo a ver com seu estilo de vida e personalidade. Tanto que criou contas em algumas plataformas como Câmera Privê e OnlyFans para explorar sua versão mais sexy e faturar com isso. “A minha saída da igreja se deu em meio a muitos julgamentos. Como não pertencia mais a denominação, todos se afastaram de mim, exceto dois amigos”, resume”.


Sem se intimidar, Yu não se abateu e passou a investir na sua carreira artística. “Sou uma pessoa de fé, mas decidi deixar a igreja porque me sentia reprovada, e esse sentimento era uma coisa minha também pois me encaixava naquele perfil certinho. Por todas as regras da igreja, eu sentia que estava fazendo tudo errado, que estava pecando e indo contra Deus. Mas depois percebi que Ele está em todos os lugares e está feliz comigo”.


Hoje, Yu se tornou uma sex symbol não só por ser capa de revista masculina, mas por estar entre as tops do OnlyFans, plataforma que já conquistou outras famosas como Anitta e MC Mirela. “Foi uma fase bem difícil, mas hoje estou bem. Sigo com a minha fé de um jeito muito mais libertador. Faturo alto com meus conteúdos e me descobri uma artista Sensual ”, conta. “Estou no meu melhor momento”.


Fotos: Nelson Miranda / Edu Graboski / Divulgação

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png