• Redação

Assoc. Bras. pela Continência B. C. Stuart realiza ações de informação sobre incontinência urinária


A incontinência urinária é toda perda involuntária de urina, ou seja, quando a urina escapa sem que a pessoa perceba ou consiga controlar. Só no Brasil, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia, 10 milhões de brasileiros sofrem com o problema.  


Ao contrário do que muitos pensam, pessoas de todas as idades podem apresentar os sintomas da incontinência urinária. No entanto, é mais comum em mulheres e em pessoas idosas.


Março é o mês de alerta para esta doença, que traz um grande prejuízo na qualidade de vida do indivíduo. Durante todo o mês, a Associação Brasileira Pela Continência B. C. Stuart vai realizar ações pela internet, para informação e esclarecimentos sobre o tema. Muitas vezes, quem sofre com essa condição não pode realizar tarefas diárias simples, como pegar o seu filho no colo, sair para jantar com os amigos ou ir à academia, com medo de que um novo acidente aconteça.


O constrangimento e a vergonha impedem que a pessoa fale sobre o assunto e procure ajuda.  Mas, o mais importante é saber que existem vários tratamentos que podem melhorar ou curar a perda urinária”, afirma a psicóloga e membro do comitê científico da Associação Brasileira Pela Continência B. C. Stuart, Ana Claudia C. Delmaschio.


Existem diferentes tipos de incontinência urinária. Um dos mais comuns é a incontinência urinária de esforço, que ocorre quando a pessoa perde urina ao rir, tossir, espirrar, exercitar-se, subir escadas, levantar peso ou exercer alguma outra forma de pressão sobre o assoalho pélvico. Em muitos casos, esse tipo de incontinência pode ser ocasionado por alguma lesão nos esfíncteres (músculos) da uretra. Obesidade, menopausa, gravidez e partos, prisão de ventre, entre outras, podem ser a causa da doença.


O tratamento irá depender do tipo e da gravidade, além das causas subjacentes, podendo muitas vezes haver a necessidade de uma combinação de abordagens interdisciplinares. O paciente pode fazer exercícios para fortalecer a musculatura pélvica, aprender técnicas e treinamentos para a bexiga, perder peso e fazer dieta alimentar. Outros tipos da doença devem ser tratados com medicamentos e até cirurgia.


Alguns casos de incontinência urinária podem ser evitados com dieta balanceada e estilo de vida saudável. Beber de 1,5 a 2 litros de água ao longo do dia, evitar bebidas alcoólicas e bebidas com cafeína, fazer uma dieta balanceada, ingerir frutas, legumes, verduras, fibras e cereais, manter o peso ideal, não fumar e praticar atividade física podem ajudar a evitar os quadros mais graves.


#PerderUrinaNãoÉNormal

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png