• Redação

Artigo de alunos de escola municipal de São Caetano é publicado em revista científica internacional


A EME (Escola Municipal de Ensino) Professora Alcina Dantas Feijão celebra mais uma conquista. Três alunos egressos do Ensino Médio dessa tradicional escola municipal de São Caetano do Sul tiveram artigo científico publicado na Wifa Plus. A revista acadêmica é publicada pela World International Fairs Association (Associação Mundial de Feiras Internacionais), empresa multinacional especializada na promoção de intercâmbios, olimpíadas do conhecimento e outros eventos educacionais.

O artigo do Alcina, que concorreu com cerca de 1.200 artigos científicos de diversos países, é o resultado de um projeto de Iniciação Científica (IC) desenvolvido pelos ex-alunos Paula Natsumi Vasconcelos Iamassita, Suelen das Graças Martins da Silva e Pedro Henrique Perrella Junqueira Gallinari. Eles desenvolveram o projeto no 3º ano do Ensino Médio e tiveram orientação do professor David Augusto Santos, docente de Geografia do Alcina.

Com o tema Envelhecimento e Direito à Cidade em São Caetano do Sul, a pesquisa foi realizada entre os anos de 2019 e 2020 como parte do programa de IC desenvolvido pelo Alcina, em parceria com o Laboratório de Ensino e Material Didático da Departamento de Geografia da Universidade de São Paulo (Lemadi-USP), coordenado pelo professor Eduardo Donizeti Girotto.

Segundo David Augusto Santos, o Programa de Iniciação Científica no Alcina surgiu há cinco anos e é oferecido a alunos a partir do segundo ano do Ensino Médio. “Entre 2016 e 2021, desenvolvemos cinco projetos, com um total de 14 alunos participantes. Todos os projetos abordam questões relacionadas à cidade de São Caetano, com o objetivo de que os estudantes investiguem o problema a partir do uso de metodologias e técnicas científicas, apresentando possíveis soluções para as questões estudadas”, explica o professor.


A diretora do Alcina, Aline do Espírito Santo, destaca que mesmo os alunos que não participam do projeto de IC com a USP fazem uma monografia no terceiro ano do Ensino Médio. “A monografia já faz parte da matriz curricular do 3º ano. É uma preparação para a universidade”, comenta a diretora.

CIDADE AMIGA DO IDOSO

Em seu projeto, Paula, Suelen e Pedro buscaram compreender a percepção da população idosa de São Caetano sobre seus direitos como cidadãos. Aplicaram questionários a moradores de 14 bairros do município e entrevistaram representantes do poder público.

“Foi uma experiência fantástica”, diz Paula Iamassita. “Aprendemos muito sobre o processo de pesquisa em si e sobre o tema estudado. Não conhecíamos os direitos e as dificuldades da população idosa da cidade”, afirma a jovem pesquisadora. “Moro aqui desde que nasci, mas não sabia que havia tantas atividades para a Terceira Idade”, comenta Suellen. “Há uma preocupação em acolher o idoso. Principalmente durante essa pandemia, a Comtid teve a preocupação em oferecer atividades a distância”, complementa Pedro.

A principal questão da pesquisa era saber se São Caetano pode ser considerada uma cidade Amiga do Idoso. E, após a apuração dos resultados, chegaram à seguinte conclusão: “(...) é possível responder que sim, São Caetano do Sul é uma cidade amiga do idoso, pois possui uma grande variedade de recursos e benefícios para auxiliar a terceira idade em sua maioria. Além disso, como foi exposto no trabalho, no geral, a cidade proporciona satisfação em seu atendimento a essas pessoas, como por exemplo em programas de aprendizagem, tecnologia, além dos centros de integração à saúde e educação, que contam com atendimento médico e uma grade de exercícios para que eles tenham o seu momento de lazer”.

eliane-silex-preto-po-90x90cm-01.jpeg.png